Curso Guerra Semântica

Com o Prof. Dr. Dante Mantovani

Especialista em Filosofia Politica e Juridica

Mestre em Linguistica

Doutor em Estudos da Linguagem

OBJETIVO DO CURSO

Formar alunos capazes de identificar fraudes semânticas, imprecisões verbais e manipulações linguísticas em diversos campos de ação humana, por meio do uso ativo e consciente de técnicas simples e eficazes para apuração da veracidade discursiva.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1-Breve panorama das ideias linguísticas, da antiguidade aos dias atuais.

Desde a Antiguidade Clássica, a Linguagem ocupa o centro das preocupações filosóficas, científicas e políticas. Sócrates fundou a Filosofia para combater os sofistas, oradores inescrupulosos que usavam a linguagem para finalidades espúrias e manipulatórias, o que gerava incertezas, desordem e insegurança jurídica no mundo helênico. O exemplo histórico demonstra que sem o correto uso da linguagem, não se pode almejar a ordem social, que só pode ser resultado da correção e ética vocabular. As ideias linguísticas da atualidade, no entanto, servirão apenas de referências para discussão dos temas de maior urgência e atualidade.

2-Linguagem, cognição e psicologia do entendimento

O uso indiscriminado das técnicas de manipulação linguística geram distúrbios cognitivos gravíssimos, que aparecem sob a forma de dificuldades de aprendizado, confusão mental, doenças psíquicas e absoluta desorientação em um mundo cada vez mais complexo. Entendimentos equivocados geram ações equivocadas. Em larga escala, é esta a principal causa do caos e da desordem social em sociedades pouco afeitas à ética do estudo.

3-Estilística e precisão vocabular

Os textos clássicos da língua portuguesa servem de exemplo de precisão vocabular, a qual, por sua vez, é condição sine qua non à prefiguração de um correto entendimento da realidade por parte do usuário da língua. O estudo de textos lapidares do idioma é pré-requisito para aquisição da capacidade de uso linguístico pautado pela precisão vocabular.

4-A manipulação linguística na ideologia

Vivemos hoje sob o império das mais variadas ideologias, que por definição são exatamente uma espécie requintadíssima de manipulação linguística. Tanto é assim que o fundador do partido comunista italiano, Antônio Gramsci estabeleceu uma estratégia para tomada do poder baseado na manipulação linguística, a qual, por sua vez, foi aplicada com sucesso no Brasil. Sem um estudo acurado e aprofundado das técnicas de manipulação linguística, é impossível sequer entender o que se passa no cenário político.

5-A manipulação linguística nas pseudo-religiões

Algumas seitas, sindicatos de religiosos e falsos religiosos utilizam-se da manipulação linguística para levar os fiéis a apoiarem causas políticas ou que não têm a ver com as finalidades nominais das próprias religiões. Analisar textos produzidos por esses “sujeitos da linguagem” é imprescindível para que a enganação não prepondere também no terreno religioso.

6-A manipulação linguística na grande mídia

Não é exagero dizer que hoje em dia todos os veículos midiáticos utilizam-se da linguagem não como meio de difusão de notícias, mas como forma de levar o público à prática de determinadas ações ou à Assumpção de determinados posicionamentos pré-direcionados. Essa atividade nada tem em comum com o que outrora se chamou jornalismo. Tragicamente, ainda muitas pessoas baseiam toda uma série de decisões pessoais nas informações enviesadas que recebem desses veículos.

7-Análise de letras de músicas

A chamada MPB tem dentre suas hostes alguns letristas que usam da manipulação linguística de maneira escancarada para finalidades ideológicas, isto é, para apoiar determinados projetos de poder. Essas letras são usadas como exemplos “lapidares” do idioma em muitas instituições de ensino, o que gera uma distorção derivada da ausência de verdadeiros referenciais vernaculares. A educação deve visar o ensino cognitivo, isto é, deve pautar-se por materiais que façam brotar a inteligência dos alunos, e não dirigi-la de maneira sub-reptícia a finalidades político-ideológicas.

8-Como identificar e rebater in limine a fraude semântica

É preciso desenvolver a habilidade de rebater preliminarmente qualquer discurso falso, o que impede que a pessoa capaz da tal ato dinâmico jamais seja enganada, manipulada ou defraudada nos campos acima assinalados.

9-Rumo a um novo campo de estudos linguísticos: Linguística Dinâmica

Espera-se que o aluno ao final deste curso esteja apto a manipular de maneira dinâmica e imediata os instrumentos linguísticos e cognitivos para rechaçar a fraude semântica, em qualquer campo da atividade humana com o qual tenha contato. A Linguística é a ciência que estuda a Linguagem, e até hoje não desenvolveu um estudo sistemático nesse sentido, pois em especial desde o séc.XIX caiu vítima, como quase todas as ciências, do relativismo, do niilismo e do materialismo, o que a fez rechaçar a dicotomia constitutiva da própria estrutura da realidade: FALSO X VERDADEIRO. Portanto, uma ciência linguística que pretenda sistematizar as capacidades cognitivas necessárias à identificação dessa dicotomia incontornável que está na essência da linguagem, deve necessariamente ser uma ciência dinâmica.

Obs. Os tópicos acima são ilustrativos, vez que poderão ser abordados em conjunto no decorrer do curso.

Assista aqui palestras do Prof. Dr. Dante Mantovani

BAIXE AQUI O E-BOOK GRÁTIS DO PROF. DR. DANTE MANTOVANI

Fale com o Prof. Dr. Dante Mantovani