Tudo o que vivemos hoje decorre de uma vingança orquestrada por inimigos da cristandade contra os Impérios Ibéricos. É o que explica as alianças reiteradas entre principados islâmicos, comunistas e laicistas: a vingança contra as potências ibéricas -Portugal e Espanha – responsáveis de uma tacada pela expulsão dos árabes da Europa, pela descoberta de novos continentes e pelo florescimento do sistema capitalista. O capitalismo gera liberdade e prosperidade para todos, o que desagradou aos gananciosos príncipes da Europa Setentrional, que se aliaram aos banqueiros, a todo tipo de seita anti-catolica e aos principados muçulmanos para financiar ao mesno tempo as seitas heréticas que destruíram o poder temporal da Igreja Católica e a pirataria que destruiu economicamente os Imperios Ibéricos. França, Alemanha e Inglaterra ficaram ricos sob os despojos de Portugal e Espanha, depois espalharam a mentira de que fundaram o capitalismo, quando em verdade criaram o socialismo, que, por sua vez, nada mais é do que uma técnica para gerar monopólios comerciais e acabar com o capitalismo. A tacada final dessa vingança é financiar a volta dos árabes muçulmanos à Europa para a completa aniquilação do que restou da antiga aliança ibérica : o poder espiritual da Igreja. As forças que movem a História são as mesmas desde a época da Inquisição. Isso explica, por exemplo, a atual invasão muçulmana da Inglaterra, onde até a princesa Diana casou-se com um Príncipe Árabe; explica o apoio dos Clinton e Obama ao Isis; explica porque banqueiros ocidentais financiaram o exército vermelho de Trotsky e a comunização da China e porque a África , outrora extensão da península ibérica , está hoje fatiada entre Russos, chineses, árabes e globalistas. O Brasl é alvo prioritário dessa conjuração, visto que conservamos ainda muito da civilização ibérica, o que, por sua vez, explica porque o establishment só age contra os interesses do povo e porque combate tão ferozmente o conservadorismo.