A mudança da capital do Brasil do Rio de Janeiro para Brasília, ocorrida em 1960, imposta ao povo brasileiro pelo governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961)foi um marco da diminuição do poder de influência da sociedade civil nas decisões políticas.

A “Marcha da família com Deus pela liberdade”, ocorrida em 1964, que reuniu mais de um milhão de pessoas, e dentre outros objetivos declarou o apoio das famílias brasileiras ao regime militar instaurado naquele mesmo ano para desarticular o movimento  terrorista que queria instalar aqui uma ditadura comunista ao modelo cubano, foi um dos últimos movimentos genuinamente populares a obter êxito na reivindicação de ações políticas que fossem revertidas para o benefício da população.

De lá para os dias atuais, os movimentos supostamente sociais são financiados com dinheiro público, com o objetivo de comprar o apoio e sustentação política para quem está no poder.

Veja-se que todos os cidadãos brasileiros estão indignados contra os contínuos escândalos de corrupção promovidos peloPT há 10 anos no (des)governo federal , os quais nunca antes na história deste país adquiriram proporções tão alarmantes, mas ninguém protesta!

Ora! Porque ninguém protesta? Somos um povo imbecilizado, desacostumado a reivindicar nossos direitos? Somos analfabetos, iletrados, incapazes, covardes? É óbvio que não. A resposta para essa questão é outra: somos pobres. Isso mesmo, somos pobres. Quem é que tem dinheiro para bancar a ida de milhares de manifestantes para o meio do sertão do Brasil, em nosso caso no estado de São Paulo, há mais de 1000 km de distância de nossas casas para protestar contra os bandidos de terno e gravata que nos roubam diariamente em Brasília?

E quem tem dinheiro para ir até Brasília fazer “protestos”?  Simples: são os movimentos bilionários, como MST, UNE, movimento gaysista, movimento abortista, movimento feminista. Isso mesmo, esses movimentos são bilionários, e de onde tiram dinheiro para irem até Brasília “protestar” por seus “direitos”?

A resposta é assustadoramente simples: do seu bolso. Isso mesmo, você trabalha quatro meses ao ano para pagar impostos ao governo federal, que irá distribuir o seu dinheiro para esses “movimentos” irem a Brasília apoiarem adivinha quem……o governo da famigerada “presidenta” a destruir você, sua família, sua liberdade e suas propriedades!

E se você não votar no PT? Soltam a UNE para protestar. E se o Zé Dirceu não for absolvido do mensalão? Botam o MST para fazer invasões. E se o Hadadd não for eleito na capital paulista mesmo com apoio do Maluf? Soltam o movimento gaysista para transformar a cidade numa zona. Em resumo, eles usam o seu dinheiro para acabar com a sua vida. É isso mesmo que comunistas fazem quando chegam ao poder.

Agora estão na moda as palavras “Sustentabilidade”, “Rio + 20”, “preservação do meio ambiente” e demais chavões que nada mais são do que disfarces daqueles que querem estabelecer um controle ditatorial sobre as vidas das pessoas. O que está por trás dessa onda ambientalista e desses movimentos eco-chatos é, igualmente, a tentativa de estabelecer um governo mundial, que vai determinar tudo o que pode ser feito, pensado e até imaginado pelas pessoas.

É a sua liberdade que está em jogo. Eles começam querendo proibir você de usar sacolinhas plásticas, depois vão te obrigar à seleta coletiva, depois vão te impedir de cortar um arbusto no seu sítio sem pedir autorização para eles, vão te proibir a pesca, vão te proibir de comer carne vermelha, vão te proibir de beber bebidas alcóolicas, vão te proibir de fumar, vão te proibir de educar seus filhos. Num segundo passo, vão te proibir de pensar, de manifestar opiniões divergentes das imposições oficiais, vão te proibir de frequentar igrejas, vão te proibir de ter a sua própria família. Parte dessas proibições já nos foram impostas pelas esquerdas que nos governam desde a “reabertura democrática” de 1984, e as piores delas já foram todas implantadas em países que adotaram o comunismo, como União Soviética, Cuba e China.

Querem fazer o mesmo no Brasil e usam essa conversinha fiada de meio ambiente para atingir essa finalidade. Tudo é desculpa para fazer proibições, para diminuir a liberdade das pessoas, para diminuir sua inteligência, para transformá-las em espectadores, para transformá-las em rebanho pacífico, para transformar a linguagem em meio de tagarelice e repetição de chavões que só fazem impedir as pessoas de pensarem com a própria cabeça e de fazer uso de suas consciências, de seu arbítrio e de suas faculdades soberanas.

A falácia se constitui da seguinte maneira: “Algo está na moda. Se está na moda, é porque é verdadeiro. Se eu implementar isso, estarei agindo corretamente”.

O erro aí é o seguinte: nem tudo que está na moda é certo, muito pelo contrário: as vezes deve-se fugir de modismos como o diabo foge da cruz!

Trazendo para o nosso caso, essa mentira da Rio +20, de que os líderes lá reunidos querem o nosso bem porque deu no Jornal Hoje, da rede Globo. Daí osincautos dirão: “Deu na Globo! Está na moda! Como poderei duvidar desta verdade absoluta?” Eis o ponto nevrálgico do erro: nem tudo que sai no jornal da globo é verdadeiro. Para saber o que realmente está se passando no mundo é preciso muito estudo e seguir a intuição. Como podemos achar que estamos melhorando se estamos cada vez mais pobres e os políticos cada vez mais ricos?

Então, conclui-se que quem age baseado no que está na moda achando que está certo, pode estar é tragicamente errado e fazendo mal a si próprio. Como ninguém gosta de fazer mal a si próprio é indispensável eliminar esse tipo de erro.

Ah, mas esses movimentos sociais estão na moda! Sim, e exatamente por isso é que temos de repudiá-los, pois os citados acima e muitos outros – porém nem todos -, servem a fins espúrios que no frigir dos ovos prejudicam em muito a você e a sua família.